GEODIREITO
Direito Administrativo Geográfico
Planejamento e gestão territorial
Perícia Geográfica
Regulação e legislação geográfica
Relações Governamentais

 

Cidades inteligentes ganham força em África

07 Jan 2018



As iniciativas inteligentes da cidade estão a ganhar força em África e no Médio Oriente, devido ao aumento das taxas de urbanização que pressionam os serviços da cidade, relata a Organização das Nações Unidas (ONU).

A população urbana da região aumentou de mais de 20 por cento, em 1960, para cerca de 45 por cento até o final de 2015. A escassez de recursos e a natureza caótica de cidades em rápida expansão também estão a empurrar os governos para implementar soluções inteligentes, para garantir a sustentabilidade de vários serviços da cidade.

A ONU diz que projectos de cidades inteligentes evoluem em torno das principais verticais, como transporte e mobilidade, segurança, meio ambiente e sustentabilidade social e serviços públicos. O foco das soluções inteligentes da cidade varia significativamente de uma cidade para outra.

Por exemplo, as cidades africanas têm se concentrado em transporte e serviços públicos. Países mais afluentes como Israel e Arábia Saudita estão focados em melhorar a eficiência dos serviços públicos e sobre outros aspectos das cidades inteligentes, como segurança.

A conectividade é significativa para a implementação de projectos de cidades inteligentes. Pequenas infra-estruturas de telecomunicações em muitos países africanos dificultam a implementação de cidades inteligentes. Isso se traduz em iniciativas de cidades inteligentes com foco pesado no desenvolvimento de redes fixas e móveis.

Cadeia de valor

A cadeia de valor da cidade inteligente consistiu em cinco níveis com padrões crescentes de envolvimento e valor acrescentado, tais como serviços de conectividade, serviços de gerenciamento de dados, plataformas de provisão de serviços, solução de serviços integrados e soluções integradas de cidades inteligentes. A oportunidade de receita pode ser significativamente menor na cadeia de valor.

Os governos são os principais interessados em projectos sobre cidades inteligentes, desempenhando um papel fundamental na coordenação e ampliação do financiamento. Sem um forte apoio governamental e planos estratégicos claros, implementar com êxito iniciativas de cidades inteligentes seria extremamente desafiador.

O relatório “Cidades inteligentes em África e Oriente Médio: ganhando força à medida que as taxas de urbanização aumentam”, fornece uma visão geral do nível executivo do mercado da cidade inteligente em África e no Médio Oriente e oferece uma visão qualitativamente profunda do mercado da cidade inteligente, analisando tendências chave e projectos de cidades inteligentes implementados na região e a principal cadeia de valor da cidade inteligente e a dinâmica do ecossistema na região.

Análise profunda

O relatório proporciona uma análise aprofundada sobre “cidades inteligentes no contexto global: um olhar sobre o contexto da cidade inteligente em todo o mundo” e a análise da cadeia de valor da cidade inteligente e o papel das empresas de telecomunicações.

A situação das cidades inteligentes em África e no Médio Oriente - “uma visão geral sobre os principais desafios da cidade em África e no Oriente Médio” e como isso está a impulsionar os investimentos em cidades inteligentes e também uma análise do papel das telecomunicações nos projectos das cidades inteligentes da África e do Oriente Médio, são outras componentes do relatório.

No dossier a ONU fala também de estudos de casos inteligentes da cidade. Esta secção detalha o modelo de negócios e a estratégia de projectos de cidades inteligentes dos países seleccionados de África e Médio Oriente e as principais teses e recomendações. O relatório conclui com uma série de conclusões importantes e um conjunto de recomendações para os interessados em cidades inteligentes, incluindo os prestadores de serviços de telecomunicações.


Fonte: Jornal de Angola



Copyright 2008-2017 - Todos os Direitos Reservados
igd@geodireito.com