GEODIREITO
Direito Administrativo Geográfico
Planejamento e gestão territorial
Perícia Geográfica
Regulação e legislação geográfica
Relações Governamentais

 

MG: Governo lança mapeamento do agronegócio

10 Mai 2017



O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, anunciou, na manhã dessa sexta-feira (5), no Palácio da Liberdade, em Belo Horizonte, a criação do geoportal Observatório da Agricultura – um sistema de informações sobre a agropecuária do Estado que pretende reunir dados, mapas e informações das principais cadeias do agronegócio. Para a execução do projeto, serão alocados R$ 3,9 milhões pela Codemig, cabendo à Emater e à Epamig a realização do convênio e a contrapartida de R$ 2,3 milhões, totalizando um investimento de R$ 6,3 milhões.

O primeiro projeto que o geoportal fará será o mapeamento e monitoramento do parque cafeeiro do Estado. Ainda neste ano, serão mapeados os primeiros 150 municípios produtores, que respondem por 80% da produção em Minas Gerais. A expectativa da safra mineira para este ano é de 26,8 milhões de sacas, correspondendo a 56,4% da produção nacional.

O secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Pedro Leitão, afirmou que o sistema agrega informação e inteligência ao setor. “Vamos ter informação tanto da dimensão das lavouras de café, a produtividade, o tipo de café, quanto a quais são as propriedades certificadas pelo governo do Estado. Essas informações vão ajudar muito o setor de café de Minas Gerais, que já tem mais de um milhão de hectares”, explicou. O mapeamento permitirá reduzir a especulação de mercado em relação às estimativas de safra de café pela área precisa plantada.

Ainda segundo Leitão, até o momento já foram mapeados os 185 maiores municípios produtores de café, em uma área superior a 787,3 mil hectares, o que corresponde a 65% da área plantada. O site trará os tipos de café com os locais de produção, a logística de escoamento das safras e estimativas de produtividade.

Investimento. Durante o evento foram entregues 46 carros para a Emater e para a Epamig, além de 500 tablets para extensionistas. Segundo Pimentel, os equipamentos ajudarão no mapeamento.


Fonte: O Tempo



Copyright 2008-2017 - Todos os Direitos Reservados
igd@geodireito.com